Privatização dos Correios Ganha Fôlego em 2021

Como é de se esperar, a novela sobre a privatização dos correios ganha novos episódios e parece que agora vai andar mais depressa, mas não tão como o ex secretario do Ministério da Economia Salim Mattar queria, uma pena. Vamos acreditar que agora vai.

Eleições concluídas no Congresso

Depois de muita luta e atrasos propositais podemos esperar que as tão sonhadas reformas e privatizações para deixa o Brasil mais “leve” ocorram em passos mais largos, pois tivemos recentemente a vitória dos aliados do Presidente Jair Bolsonaro na Câmara Arthur Lira e no Senado Rodrigo Pacheco e ambos parecem estar de acordo com as pautas das reformas e das privatizações enquanto os anteriores somente engavetavam.

Presidente do Senado

O Presidente do Senado o Senador Rodrigo Pacheco durante solenidade de abertura do ano legislativo,disse que a prioridade é para a aprovação das reformas tributária e administrativa, além de medidas para destravar a economia e gerar emprego e renda.

Presidente da Câmara dos Deputados

Em seu Twitter o Deputado e Presidente da Câmara Arthur Lira disse “Reunião hoje com o presidente do Senado definiu procedimentos de votação da reforma tributária, cujo relatório deverá ser entregue até o final deste mês. Não conversamos sobre mérito. A Câmara dos Deputados também tratará com rapidez a reforma administrativa.”

Tudo parece estar em consonância com relação aos projetos do Executivo.

Processo de privatização dos Correios

Os Correios podem ter até R$ 20,6 bilhões de recursos em 2021, conforme estipulado no decreto que aprova o Programa de Dispêndios Globais (PDG) das empresas estatais federais para o exercício financeiro para o ano que vem, publicado nesta sexta-feira, 4. As estatais têm 30 dias para encaminharem ao Ministério da Economia o detalhamento mensal.

Os Correios estão em processo de privatização. Assim como o Serpro, que ficará com R$ 3,6 bilhões em 2021 e a Dataprev, a qual foram destinados R$ 1,6 bilhão. A Finep ficou com R$ 4 bilhões.

A Telebras, outra estatal na lista de privatização, não tem orçamento próprio. Os recursos destinados a ela fazem parte do orçamento do Ministério das Comunicações.

Projeto de Lei

O governo vai enviar ao Congresso, nos próximos dias, um projeto de lei que abre caminho para a privatização dos Correios. O texto já foi assinado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser chancelado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira.

O modelo de privatização ainda está em estudo, mas, de acordo com cronograma do governo, o leilão está previsto para meados de 2021.

Gostou desse artigo? Favorite o blog do Bom Carteiro e fique antenado com notícias sobre atualidades e novidades sobre os Correios, e-commerce e logística.

Para saber mais sobre nossos serviços, acesse aqui. Novidades sobre os Correios aqui.

Até mais!